Mood Work
3.0

Por Fah Maioli

Depois da mais recente Orgatec e enquanto esperamos as novidades do SaloneUfficio – agora Workplace 3.0 – do próximo iSaloni, confira conceitos inovadores no design e na tecnologia, pensados para o espaço de trabalho

A tecnologia mudou tudo. Deixou o homem mais livre para se organizar como deseja e permite que ele possa trabalhar onde quiser – em casa, no trem, no ônibus, no banco da praça (muitas cidades oferecem wi-fi grátis nestes espaços!) – e, então, já que o espaço de trabalho será cada vez mais um lugar de convívio e de relações sociais, vai ser menos importante oferecer uma escrivaninha bacana.

O ambiente pensado na sua totalidade, como um grande organismo (a exemplo dos escritórios do Google, com jogos, restaurante, decoração aconchegante, conforto para uma soneca etc.) é que vai permitir que o colaborador permaneça e esteja feliz (e produtivo) com a sua atividade. Neste panorama, as cadeiras também mudam para um patamar de elegância formal e grande conforto. Afinal, todo mundo precisa sentar!

De móveis para escritório ao
sistema de mobiliário

O mobiliário para escritório teve seu grande boom na Itália durante a década de 1970, sendo que experiências análogas também foram vividas nos Estados Unidos por meio dos produtos projetados por ex-professores e alunos da Bauhaus.

Um exemplo é a famosa Serie45, do mítico designer italiano Sottsass (1917-2007), produzida pela empresa Olivetti (a inventora do primeiro computador pessoal, o P101). Ela foi articulada em dezenas de componentes, que ofereciam uma ampla variedade de soluções e atendiam todo o espaço arquitetônico de um escritório da época, incluindo painéis de parede e cinzeiros.

A singularidade do projeto de Sottsass, causa do sucesso da linha e de sua réplica (até hoje) ao redor do mundo, residia em um design limpo, inspirado em critérios de funcionalidade e modularidade – nada transgressor. Vale lembrar que era a época do flower power, das cores frisantes e ácidas e do plástico em tudo; o mobiliário em geral seguia essa tendência, como é possível ver no trabalho de designers mais famosos da época, como Verner Panton e Joe Colombo.

Cadeira de escritório com massageador (marca desconhecida)

Ambientes mobiliados com a Serie45

A cadeira no momento atual

No final dos anos 1970, as cadeiras de escritório se apresentavam com um design radical em comparação aos anos anteriores. Grupos de designers, como Memphis ou Archizoom, enfatizavam o aspecto divertido e lúdico das formas muito mais do que o caráter funcional.

Na década seguinte, observamos uma pesquisa simultânea de individualismo e pluralismo que levou a uma diversidade de estilos inéditos – e que hoje ainda olhamos com surpresa. Foi a época de ouro de Philippe Stark, Ron Arad e Gaetano Pesce, que ainda representam esta tendência.

Já nos anos 1990, com o inicio da onda da sustentabilidade e do surgimento das novas tecnologias, vimos uma pesquisa de formas e materiais simples, mas muito inovadores e Frank Gehry e Jasper Morrison foram duas figuras chave deste período.

Hoje, a fantasia continua a existir, não há dúvidas, principalmente como critério importante na concepção das tomas como demonstram Ron Arad e Marc Newson. O segundo, aliás, mantém uma preocupação pela funcionalidade e pela produção em grande escala.

Econômica ou ergonômica?

Antes de escolher uma cadeira para o escritório, é preciso considerar que ela será utilizada durante uma parcela considerável do dia. Então, a escolha não deve ser de ordem econômica, mas ergonômica. Por isso, trago aqui a minha lista pessoal, utilizada quando fui em busca de cadeiras para meu próprio escritório. Divirtam-se!

  • Varier Balans

    É uma das cadeiras mais particulares de escritório presentes hoje no mercado. Vem diretamente da Noruega e há necessidade de muito espaço para oscilar livremente. É fruto de um profundo estudo do designer Opsvik, que quer dar aos usuários o máximo do conforto em todas as circunstâncias. Tem um design exclusivo e é realizada em madeira de Faggio. Provei e é de um conforto surreal!


  • Herman Miller Aeron

    A famosa Aeron é uma das mais custosas no mercado europeu atual. Porém, temos que dar o braço a torcer: é uma das mais incríveis cadeiras de escritório que já foram criadas quando se trata de material, design e inovação. Isso sem contar que é muito elegante! Sua estrutura em rede dá uma grande superfície de apoio e faz o corpo respirar livremente em uma área delicada.


  • Hag Capisco

    É uma das mais divertidas formalmente, mas talvez por isso não agrade a todos! Seu design lúdico tem uma função: serve para oferecer um bom suporte à coluna vertebral. Consente de assumir várias posturas e a recomendo porque as pernas são sustentadas por suportes que permitem a maior circulação sanguínea possível.


  • Balt Spine Align

    Esta cadeira oferece um conforto ótimo durante o seu uso, mas não é uma das mais originais do mercado. Gosto dela, pois dispõe de uma pequena almofada de suporte e pode ser regulada em toda a sua parte superior, oferecendo ângulos de muito conforto. Recomendo para quem tem problemas de coluna, afinal, ela oferece um suporte que evita a compressão.


  • Grima Twinny

    Não é a melhor forma do mundo e, na verdade, é um banco com suporte, mas pode ser regulada em altura e se adapta a todas as mesas possíveis. Está na lista porque é um modelo simples e funcional, que permite ser inserida em contextos modernos ou até em pequenos ambientes, dada a sua dimensão.

Fique por dentro!

Já conhece o Projeto conteúdo?

O Projeto Conteúdo é uma iniciativa da Alternativa Editorial/Revista Móbile, especializada em comunicação para o setor moveleiro. Os temas abordados são relevantes e focados em tendências para o mobiliário, design de móveis e comportamento de consumo.

Cadastre-se e fique por dentro das novidades do mundo da decoração.